mandando cortar
a corda
que o suspende,
no momento em que goza

roland barthes

Comments

ana rüsche said…
animal!

eu consigo até sentir um poema dessa continuação.

beijos