Como criar para si objetos sólidos

Não sei se foi ela quem disse obrigado ou se eu disse eu que agradeço. No caso paguei. Mônica e Cíntia. O nome de Mônica e Cíntia estão escritos numa lixeira com rodinhas que elas carregam passando por uma rua perpendicular ao Salão de Beleza Visual. Elas arrastam seus carrinhos iguais atrás de mim como quem diz para não parar. Os carrinhos provavelmente carregam coisas que não são delas e não são delas também as vasouras. Elas recolhem o lixo de lixeiras pequenas, no caso em frente ao meu colégio. No colégio onde estudei decidiram colocar pequenos backlights com fotografias de crianças do colégio. Duas usam o computador e a outra, uma menina, estende umas bonecas de papel vermelho como são os uniformes dos meninos. O resto é preto. E branco. Talvez o uniforme da menina também fosse vermelho. Como ficaria a boneca e o uniforme vermelhos? Por isso eles tomaram essa decisão muito importante. Eu conheço eles e talvez estejam certos. Nem sempre estão certas as pessoas que fazem fachadas. Eu já fiz uma fachada errada. As fachadas erradas são sobresalientes nas estruturas para as quais forma feitas para poder chamá-las de outra coisa. Uma casa antiga. Assim, a cidade salta aos nossos olhos. Esses olhos arregalados das fachadas nos perseguem e pensam ser visíveis quando estamos de lado para elas. Essa roupa maravilhosa para passar em frente as fachadas. Agora passam mulheres, graças a deus. Mas estou dentro de uma fachada e seus carrinhos de lixo têm números, diferentes das que continham letras tornadas visíveis pela tinta manuscrita, os números foram impressos. Ela apontou para fachada e provavelmente verá o Salão de Beleza Visual. A decisão do Salão de Beleza Visual é autônoma. É uma faixa e a decisão foi deles. Pela minha folha, agora branca, agora ela me pergunta se eu já pedi alguma coisa. Eu não quero pedir alguma coisa dentro da fachada. Nós estamos aqui, de olhos fechados, pensando e descrevendo e ela me pergunta? Não. Eu não consigo ouvir o diálogo do caixa. As pessoas que falam Tu são muito simpáticas. - Tu já pensOã? As pessoas que falam tu têm mais curiosidade na pergunta. Mantém a dignidade dos n´s. Todos esperam pelo momento que alguém entre na fachada, passe pelo balcão, faça o pedido e pague no caixa. O uniforme é o mesmo. - Como estás? A caixa me aparece no espelho. A coluna é um espelho ( a coluna que sustenta a padaria pelo meio). As bordas parecem de banheiro. Uma outra decisão tomada recentemente foi: colocar o limpador de parabrisa das fachadas móveis dos carros se movimentando para fora. Foi uma boa decisão. Uma variedade de decisões foi tomada e as ruas estão coloridas e os carros se mexem um para cada lado e ainda têm seus parabrisas se está chovendo se mexendo para outros lados. Estamos seguros. Eles me falam inteligente. Os rostos conhecidos se destacam na paisagem mas não sei quem é. Adeus, objetos sólidos. Por favor, me veja um objeto sólido comestível feito de massa que era farinha branca enquanto estou encostada no balcão frio que gela a comida. Ninguém me dá atenção no Panifício Avenida. - O que que era pra ti? Pra mim era um objeto sólido.

Comments

levitantes said…
to voltando a ler os textos
(puxa como eu gosto de ler os teus..)